Comunidade escolar protagonista

Despertando a liderança para uma comunidade protagonista – Por Joice Andrade

Durante muito tempo o papel de líder nas escolas estava direcionado apenas à equipe de coordenadores e gestores, gerando assim uma centralização, e, em contrapartida, falta de autonomia e protagonismo de outros atores da comunidade escolar. A Unesco busca tratar em um de seus documentos o impacto que uma liderança de qualidade exerce sobre os estudantes: influenciá-los positivamente, seja em seu desempenho acadêmico, ou mesmo social. E quem melhor para influenciar os estudantes do que a própria comunidade escolar em que eles estão inseridos? Por isso, nosso objetivo aqui, é sensibilizar todos os atores para a importância de uma comunidade escolar protagonista e ativa, exercendo diferentes papéis de liderança, e orientar com dicas práticas como fortalecer e estimular essa liderança na comunidade. 

Mas o que é liderança e como ela atua na escola? 

Quando pensamos em “líder”, logo vem em mente alguém que dá ordens, está acima, ou alguém que direciona uma equipe. Em outros termos, o papel da liderança é influenciar pessoas positivamente, a tal ponto que elas tenham confiança no trabalho do líder e se permitam serem guiadas por ele. No ambiente da escola, é mais adequado visualizar essa liderança, como alguém que de fato está ali para influenciar, trabalhar junto para gerar transformação, tomar a responsabilidade para si, e isso toda a comunidade escolar deve ser estimulada a fazer. O papel de líder na escola é delegar quando necessário e orientar seu grupo a quais passos seguir. Muito além disso, o líder desperta na comunidade o senso de protagonismo, para que eles também participem dos projetos, da melhoria do processo ensino-aprendizagem e das tomadas de decisões na escola.

Quem é essa comunidade escolar e porque cada um deve exercer um pouco esse papel de líder?

A comunidade escolar, como o próprio nome diz, é composta por todos aqueles que estão direta ou indiretamente inseridos no contexto da escola. Sendo assim, essa comunidade é composta por: estudantes, professores, gestores, coordenadores, equipe de limpeza, da merenda e administrativa, responsáveis dos alunos, moradores e comerciantes residentes no entorno da escola. Entendendo que líder é quem influencia e participa ativamente gerando transformação, podemos então afirmar que toda essa cadeia de atores escolares podem e devem exercer, quando apropriado, esse papel de liderança. Aqui não estamos falando de trocar os papéis, ou mesmo confundir as autoridades, mas de conseguir gerar nesses atores um senso de pertencimento significativo que desperte neles a vontade de também influenciar e transformar a realidade da escola. Quando a comunidade percebe essa abertura para a participação não só como um direito, mas um dever, os benefícios são inúmeros: funcionários mais motivados e engajados que entregam um trabalho de maior qualidade, responsáveis mais presentes na vida dos alunos, alunos mais criativos, colaborativos e cidadãos ativamente envolvidos e participativos, equipe mais unida e disposta a fazer dar certo, e claro, o mais importante: um processo de ensino-aprendizagem mais efetivo.

Entenda na prática como despertar uma comunidade líder:

1. Reconhecimento das ações: parabenize, ofereça premiações e celebre toda boa ação, projeto bem sucedido e bons resultados. As pessoas gostam de terem seus esforços reconhecidos e isso ajudará a reforçar a cultura de liderança.

2. Divulgação de projetos e conquistas: além de parabenizar, caso sua escola possua rede social (caso não, pode ser exposto em um mural), divulgue os projetos e boas práticas desenvolvidas por todos da comunidade, dessa forma, além de influenciar para que outras pessoas queiram fazer, incentiva aos que estão fazendo a continuarem.

3. Alunos monitores: essa dica é especialmente para os professores. Sabe aquela turma cheia, com alta defasagem e desestimulada? Trabalhar com a prática de alunos monitores vai te ajudar a conseguir, através dos próprios estudantes, alcançar a todos, além de desenvolver neles senso de colaboração, maior aprendizado (pois quem ensina aprende duas vezes) e protagonismo.

4. Incentivo à autonomia: encoraje a autonomia dos professores e dos outros profissionais, permitindo que tomem decisões e contribuam ativamente para o desenvolvimento da escola.

5. Estímulo ao Aprendizado Contínuo: promova capacitações na escola, quando possível valorizando as competências dos próprios profissionais e alunos que tiverem domínio para falar ou ensinar sobre o tema. Divulgue e apoie a participação em palestras, cursos, workshops e especializações. Líderes escolares são aqueles que adquirem e transmitem conhecimento, então, quanto mais a comunidade for instruída, melhor será seu protagonismo.

6. Criação de grêmio estudantil: essa sugestão vai para os coordenadores, mas o professor pode eleger um líder de sala também. Ao fazer parte de um grêmio, o aluno assume para si a responsabilidade de representar seus colegas, o que o torna mais autônomo e desenvolve habilidades de liderança.

7. Criação de comitê escolar: um comitê escolar é composto por representantes de todos os grupos de atores da comunidade escolar. É importante a atuação de um comitê para tomar decisões democráticas com diversos pontos de vista, a respeito da vida escolar e de ações que envolvam ou impactem diretamente a comunidade.

8. Integração da escola com a comunidade local: promover eventos que permitam os moradores da comunidade visitarem a escola como: feira de ciências, de empreendedorismo, oficinas, projetos, bazar, apresentações em datas comemorativas. Ou mesmo o processo inverso, levar os alunos para a comunidade, realizando: entrevistas com moradores, visitas a praças, coletivos, lugares importantes da comunidade. 

A escola é um ambiente físico, porém, somente vivo por conta das pessoas que nela atuam, participam, passam e deixam suas marcas. Logo, perceber a importância do papel crucial que cada um que está inserido no contexto escolar possui é fundamental para compreender que todos podem ser ativamente participativos, e são os coordenadores e professores peças fundamentais para despertar esse sentimento de pertença na comunidade. Dessa forma, será possível construir escolas mais criativas, atraentes, inclusivas e tornar as pessoas que nelas convivem mais responsáveis, resilientes, colaborativas e protagonistas das suas próprias histórias, influenciando e impactando a história de outros. Que tal então começar hoje a despertar na sua comunidade escolar essa liderança e colher os frutos dela?

Referências:

UNESCO. Liderança escolar: diretores como fatores-chave para a transformação da educação no Brasil. 2022. Disponível em <Liderança escolar: diretores como fatores-chave para a transformação da educação no Brasil – UNESCO Digital Library>. Acesso em: 25 nov. 2023. 

Dspace. Liderança escolar. Capítulo IV. Disponível em <CAPÍTULO IV (uevora.pt)>. Acesso em: 25 nov. 20023.  

Instituto Unibanco. Coleção Políticas Públicas em Educação. Liderança escolar para a melhoria da educação. N. 1. Maio 2021. Disponível em: <observatoriodeeducacao.institutounibanco.org.br/api/assets/5bb8791a-449e-4b1a-839e-251127a38dd5/>. Acesso em: 27 nov. 2023.

GONÇALVES, Verbena. Formação de gestores escolares 2018. Canal Educação, 2018. Disponível em: <Apresentação do PowerPoint (canaleducacao.tv)>. Acesso em: 28 nov. 2023.

Khan Academy Blog. Qual a importância da comunidade escolar. 2023. Disponíve em: < Qual a importância da comunidade escolar? – Khan Academy Blog>. Acesso em: 02 jan. 2024.

compartilhar

Relacionados

Dia dos povos indígenas

Dia dos povos indígenas: Como fomentar reflexões e atividades evitando estereótipos no dia dos povos indígenas? – Por Marina Queiroz (…)

Revisitando o Ensino Híbrido

Perspectivas e reflexões sobre o ensino híbrido no cenário pós-pandêmico – Por Júnia Bicalho (…)

Gestores na educação

Gestores na educação: como alcançar bons resultados com uma gestão humana e democrática? – por Marina Queiroz (…)

Encontrou o que precisava?