Guiando Juntos: o poder da liderança compartilhada no ambiente escolar

Construindo uma comunidade resiliente e empoderada através da liderança compartilhada – por Júnia Bicalho

O foco principal deste texto é explorarmos o tema da liderança compartilhada. Mas, antes de nos aprofundarmos nele, precisamos entender qual é o papel de um líder e como esse papel pode ser exercido de maneira abrangente. Líder é a pessoa que irá exercer influência sobre outras pessoas, guiando e incentivando um grupo a alcançar objetivos individuais e coletivos cada vez mais satisfatórios. É papel de um líder tomar decisões e se responsabilizar por elas, criar um ambiente inclusivo, empoderar as pessoas ao seu redor e, principalmente, demonstrar em suas ações o comportamento que espera ver nos demais membros da equipe, o que é normalmente reconhecido na literatura como liderar pelo exemplo (DAY, 2000). 

No entanto, engana-se quem pensa que a liderança somente pode ser exercida pela figura que está no topo da hierarquia. Todos os atores envolvidos em determinado contexto podem e devem exercer papéis de liderança dentro do que lhes cabe. Mas, como assim? Calma, trazendo esse conceito para o ambiente escolar, vamos enxergar com mais clareza o que foi dito até aqui.

  1. Liderança compartilhada na escola: um propósito comum

De acordo com a coleção Políticas Públicas em Educação, Liderança Escolar para a Melhoria da Educação (2021), o objetivo comum do grupo presente na escola sempre deverá estar pautado em melhorar o processo de ensino-aprendizagem dos estudantes, logo, o líder deve alinhar ações em busca desse propósito. Agora, vamos imaginar uma escola com seus estudantes, professores, coordenadores pedagógicos e gestores. Você acredita que somente os gestores serão os líderes responsáveis por alinhar essas ações? 

Espera-se, sim, que gestores sejam bons líderes, porém, um conceito que vem ganhando destaque no âmbito escolar é o de Liderança Compartilhada, no qual todos os envolvidos, de alunos a gestores, são também responsáveis por atuar e tomar decisões na busca por melhorias no processo de ensino-aprendizagem (BONEZ, 2019).

Para quem conhece o ambiente escolar, é fácil listar mentalmente os deveres e funções de cada grupo de profissionais, mas você já parou para pensar como cada um pode se enxergar como líder e assumir esse papel no contexto de Liderança Compartilhada? 

  1. Liderança em diferentes papéis

Quando cada membro da comunidade escolar se vê como um agente de mudança, a sinergia resultante promove um ecossistema educacional mais rico e focado no aprendizado contínuo. A colaboração entre professores, coordenadores, alunos e gestores não apenas fortalece os laços dentro da escola, mas também cria uma cultura escolar resiliente, capaz de se adaptar às demandas em constante evolução da educação. Ao compartilhar responsabilidades e decisões, a liderança deixa de ser uma jornada solitária e se transforma em uma jornada coletiva, na qual cada voz é valorizada e ideias diversas convergem para moldar a instituição. Logo, reconhecer-se como líder dentro da escola é um passo importante para influenciar positivamente a comunidade escolar. A seguir, vamos ver algumas dicas e exemplos de como coordenadores, professores e estudantes podem exercer liderança escolar dentro de suas próprias atividades.

  • Coordenador pedagógico

Coordenadores possuem grande influência sobre toda equipe, inclusive em relação aos gestores. É importante que o coordenador saiba que os gestores dependem – e muito – de colaboração para promover o bom funcionamento da escola. É necessário assumir responsabilidade na tomada de decisões, construção de documentos, organização e gestão de recursos. Comunicação clara e objetiva é indispensável para promover um ambiente saudável. Se você é coordenador, não esqueça de dar suporte a profissionais menos experientes e criar uma cultura de feedbacks. Uma dica seria marcar reuniões individuais com os membros da equipe e escutar atentamente suas demandas, sabendo encaminhá-las aos setores responsáveis ou até mesmo, quando possível, solucionando-as. Dessa forma, você passa a ser uma figura de referência e suporte em relação ao grupo e muitas das demandas que possivelmente chegariam à gestão, serão resolvidas com mais agilidade. É muito importante também valorizar as contribuições de cada um, afinal, todos gostam de ser positivamente notados. Por que não criar um mural na escola ou um informativo digital que conte para a comunidade as boas práticas que estão sendo realizadas? Normalmente, muito está sendo feito, porém pouco está sendo notado. Pense nisso! Quanto aos alunos, seja empático, estabelecer uma relação de confiança com eles é essencial para identificar dificuldades, fragilidades e também situações mais sérias que possam estar acontecendo dentro e fora da escola. 

  • Professor

O professor que assume uma postura de liderança vai além do ensinar em sala de aula e desempenha um papel ativo na promoção de mudanças positivas dentro da escola. É importante que o docente pratique o autoconhecimento, identificando quais as suas habilidades, paixões e como melhor pode contribuir nesse ambiente. O professor líder busca introduzir novos métodos e abordagens em sala de aula, trabalha em colaboração com colegas e membros da equipe escolar e assume responsabilidade pelo aprendizado de seus alunos. Então, que tal propor um grupo de trabalho que envolva os estudantes e diversos profissionais da escola para buscar uma melhoria no ambiente? Escute a comunidade para perceber o que mais faz sentido para o momento. Outro fator essencial é a contínua promoção da inclusão e diversidade, criando um ambiente acolhedor para todos os estudantes, independentemente de suas origens ou habilidades. Comece incorporando materiais e atividades que representem diversas perspectivas e experiências, garantindo que todos se sintam valorizados e compreendidos. Além disso, o fato de estar em contato direto com os estudantes faz com que o professor exerça grande influência sobre estes, logo, talvez seja o profissional que mais deve estar atento ao “liderar pelo exemplo”. Se você é professor e espera que seus alunos não gritem em sala de aula, comece dando esse exemplo e mantenha sempre uma comunicação respeitosa com todos. Ao cultivar um ambiente de respeito mútuo e colaboração, o professor desempenha um papel fundamental na construção de uma comunidade escolar centrada na liderança compartilhada.

  • Estudante

O estudante líder deve adotar atitudes que inspirem positivamente seus colegas e promovam um ambiente escolar saudável, respeitando a diversidade e promovendo a inclusão. Além disso, deve se responsabilizar pelo seu próprio desenvolvimento, entendendo que suas atitudes e escolhas impactam em seus resultados. Dessa forma, o estudante deve buscar se engajar nas atividades disponíveis em sua comunidade escolar e assumir um papel de protagonista em relação ao seu aprendizado. Isso pode envolver liderar grupos de estudo, compartilhar conhecimentos com os colegas, ou até mesmo criar iniciativas que abordem questões importantes para a comunidade estudantil. Participar ativamente de comitês escolares, conselhos estudantis ou projetos sociais são outras formas de exercer liderança e contribuir para a construção de um ambiente escolar colaborativo.

É um tanto quanto claro, mas indispensável, dizer que, independente da posição ocupada, o ator precisa ser proativo e entender que ao invés de esperar que se construam as condições adequadas para seu trabalho, ele pode ser parte da construção do ambiente em que deseja estar e trabalhar. 

E então, você está compartilhando a liderança da escola em que atua? Caso queira continuar essa conversa, estamos à disposição! Vamos adorar falar com você e ajudar a identificar as suas potencialidades como líder no ambiente escolar. 

Referências:

BONEZ, J. Liderança democrática e gestão escolar: prática ou utopia? rd.uffs.edu.br, 2019.

DAY, D. V. Leadership development: A review in context. The Leadership Quarterly, v. 11, n. 4, p. 581–613, dez. 2000.

LIDERANÇA ESCOLAR PARA A MELHORIA DA EDUCAÇÃO, 2021, [s.l: s.n.]. Disponível em:<https://observatoriodeeducacao.institutounibanco.org.br/api/assets/5bb8791a-449e-4b1a-839e-251127a38dd5/>. Acesso em: 26/11/2023. 

compartilhar

Relacionados

Dia dos povos indígenas

Dia dos povos indígenas: Como fomentar reflexões e atividades evitando estereótipos no dia dos povos indígenas? – Por Marina Queiroz (…)

Revisitando o Ensino Híbrido

Perspectivas e reflexões sobre o ensino híbrido no cenário pós-pandêmico – Por Júnia Bicalho (…)

Gestores na educação

Gestores na educação: como alcançar bons resultados com uma gestão humana e democrática? – por Marina Queiroz (…)

Encontrou o que precisava?