Preparativos para o novo ano letivo

Aspectos relevantes para pensar na recepção dos estudantes na abertura do novo ano letivo – por Juliana Ferro

Passadas as festas de fim de ano, nessa altura toda a equipe escolar já está a todo vapor preparando tudo para receber os estudantes no novo ano letivo. E claro que não poderíamos deixar de falar nesse assunto, considerando esse momento tão decisivo, separei algumas reflexões para tornar essa recepção mais inclusiva, acessível e acolhedora

É importante considerar que alguns aspectos da estrutura física da escola interferem diretamente no processo de acolhida dos estudantes, por isso separamos alguns aspectos a serem verificados antes da abertura dos portões:

  • Verificar condições dos banheiros (tem porta? As descargas e torneiras estão funcionando? É possível fornecer papel higiênico?);
  • Verificar condições das salas de aula (os ventiladores ou ar condicionados funcionam? Tem a quantidade de mesas e cadeiras suficientes para acomodação dos estudantes? Os quadros e salas estão limpos?);
  • Verificar a logística de entrada dos estudantes e responsáveis (quais informações serão encontradas na entrada da escola? Tem um funcionário disponível para dar orientações?).

Apesar de saber que em muitos casos algumas dessas questões ultrapassam as ações diretas da escola pública, pois dependem de orçamento ou liberação das secretarias, existem alguns pontos em relação à infraestrutura que são muitas vezes esquecidos e podem ser rapidamente solucionados logo no início do novo ano letivo. Como por exemplo a atenção com a limpeza das salas. Karino e Laros (2017) em seu levantamento apontam que a infraestrutura ainda é um ponto de interferência positiva no pertencimento e acolhimento dos estudantes e o cuidado com o lugar de recepção dos estudantes pode contribuir para que se sintam parte do ambiente escolar.

Outro ponto importante para se ter atenção nesse momento de organização da escola é pensar na exposição das informações em áreas comuns. Como por exemplo, murais com as seguintes informações: 

  • Horários das aulas regulares;
  • Lista com atividades extras, informações de horários e formas de inscrição;
  • Normas de conduta, conscientização contra o bullying, roubo de material, por exemplo;
  • Instruções de higiene básica;
  • Espaço livre para que os estudantes deixem recados.

A criação de espaços de expressão por parte dos estudantes pode evitar a escrita em mesas e cadeiras, mantendo o ambiente da escola mais harmonioso. Eles têm muito a dizer e muitas vezes falar não é uma opção para eles, então esses espaços podem ser um bom ponto para canalizar essas ideias.

Para muitos estudantes pode ser o primeiro contato com a escola, por isso é importante que haja uma apresentação do espaço, principalmente se ele for extenso e com muitas alas. Em escolas muito grandes, aquela reunião no pátio falando no som com todas as turmas ao mesmo tempo pode não ser muito efetiva.

Acredito que essa primeira fala tenha um papel de aproximação muito importante, porém não seja suficiente para atingir todos os estudantes. 

Já acompanhei escolas que optaram por dois movimentos, o primeiro de falar no pátio, principalmente focado em mostrar as partes importantes daquele ambiente e expor suas expectativas em relação às atitudes dos estudantes. O segundo momento, era de passar de sala em sala, apresentando a equipe gestora, dando os comunicados e tirando dúvidas. Esse movimento mais próximo das turmas aproximava os estudantes e a equipe gestora, alguns nomes já eram aprendidos e os estudantes sabiam a quem recorrer em determinadas situações. Ou seja, recomendo bastante esses dois momentos.

Aqui estou partindo do princípio que a reunião de planejamento já aconteceu, mas só para reforçar é imprescindível passar todo o calendário escolar com a equipe, assim todos ficam cientes do que é esperado para o ano e principalmente para o 1º bimestre. Segue um check list só para garantir que nada foi esquecido:

  • Discutir quais projetos serão desenvolvidos no ano;
  • Organizar as datas e eventos de culminância;
  • Entregar o calendário da rede para os professores;
  • Passar por todas as datas e eventos já agendados;
  • Discutir se as datas pensadas para o projeto se encaixa no calendário da rede;
  • Realocar datas e focar nas atividades do 1º bimestre;
  • Alinhamento de horários e projetos junto aos professores, momento importante para delegar.

Não tenho a intenção de fornecer um passo a passo que limite a organização da escola, só trouxe aqui elementos que em meio as escolas que acompanhei eram esquecidos ou que fazem diferença na rotina escolar. Esses são apenas pontos de atenção que podem favorecer o engajamento dos estudantes e diminuir a cultura de apagar incêndio que temos presente nas escolas públicas.

Cada escola tem sua identidade e suas particularidades que precisam ser consideradas no primeiro planejamento do ano para garantir a qualidade do trabalho anual.

Esqueci de algum ponto que você considera fundamental pensar nesse preparo para o novo ano letivo? 

Escreve para gente, vamos adorar ler e compartilhar outros pontos de atenção para a organização do início do ano letivo.

Referências:

KARINO, Camila Akemi; LAROS, Jacob Arie. Estudos brasileiros sobre eficácia escolar: uma revisão de literatura. Examen: Política, Gestão e Avaliação da Educação, v. 1, n. 1, p. 32-32, 2017.

compartilhar

Relacionados

Dia dos povos indígenas

Dia dos povos indígenas: Como fomentar reflexões e atividades evitando estereótipos no dia dos povos indígenas? – Por Marina Queiroz (…)

Revisitando o Ensino Híbrido

Perspectivas e reflexões sobre o ensino híbrido no cenário pós-pandêmico – Por Júnia Bicalho (…)

Gestores na educação

Gestores na educação: como alcançar bons resultados com uma gestão humana e democrática? – por Marina Queiroz (…)

Encontrou o que precisava?