O que corrida esportiva tem a ver com educação?

Olimpíadas de conhecimento e formação de professores: uma corrida que vale a pena – uma parceria da Curiós com a Associação Cactus

Você sabia que, no Brasil, estima-se que mais de 5 milhões de pessoas praticam corrida de rua? O número vem crescendo e é um sinal de que mais gente tem se interessado pelo esporte e pela busca de um estilo de vida mais saudável.

Praticar corrida no dia a dia é uma coisa, mas você já viu alguma competição com atletas profissionais? Números quase inimagináveis são alcançados por pessoas que passaram dias, meses, anos se dedicando com afinco àquela atividade.

Mas calma, não viemos aqui dizer que você precisa começar a correr (apesar de nunca ser má ideia incorporar atividades físicas à sua rotina!), mas sim para fazer você refletir sobre como está incentivando seus alunos.

Você não entendeu errado. Entender mais do mundo dos esportes pode nos levar a reflexões importantes sobre a relação entre aluno e professor. Para conduzir essa ideia, precisamos primeiramente entender que, para um atleta profissional de corrida chegar às Olimpíadas ou outros grandes eventos vários outros atores são fundamentais.

Uma pessoa pode nascer com predisposição a um esporte, o que, somado a incentivos, apoio da família, oportunidades, disciplina e bons hábitos, podem, de fato, levá-la a um alto nível. No entanto, o que acontece se essa pessoa não é estimulada de forma apropriada? Provavelmente não vai nem passar pela cabeça dela que, um dia, ela poderia ser uma atleta!

Algo parecido acontece nas escolas. Alunos, muitas vezes, podem não ter tido os incentivos adequados até estar ali, sentados na carteira à sua frente. O professor, nesse caso, é o técnico, que vai entender os principais desafios daquele aluno e ajudá-lo a aprimorar suas habilidades. O coordenador, por outro lado, garante que esse aluno tenha o ambiente adequado e os materiais necessários para a condução desse processo, tal como um presidente de clube faz com os atletas.

Percebeu a semelhança? Essa analogia fica ainda mais clara quando a gente pensa nas olimpíadas de conhecimento, que são oportunidades de desenvolvimento dos alunos por meio de competições saudáveis e focadas em aprendizagem. A Associação Cactus é especialista em fornecer todo o preparo que conduz municípios e escolas para incentivar estudantes nessa trajetória.

Claro que grande parte desse trabalho implica numa ótima preparação dos professores, que precisam dos materiais adequados e, principalmente, de uma formação que os capacite para serem guias dos seus estudantes na jornada de olimpíadas de conhecimento! É aí que entra a Curiós, já que formar professores é o que a gente ama e sabe fazer bem.

Assim, estamos muito felizes em anunciar essa parceria e desejar ótimos frutos. Acreditamos no potencial dos educadores e dos alunos de serem os melhores “atletas” que podem ser! Pode ser que nem todos sejam ótimos corredores, mas que descubram outros talentos ao longo do caminho que, de fato, os fazem serem sua melhor versão em diversas outras áreas.

Quantos corredores tem na sua sala de aula hoje? E nadadores? Lutadores? E quantos engenheiros? Químicos… Nenhum desses pode deixar de existir pela falta do incentivo adequado! Reflita sobre o tema e conte com a união poderosa da Cactus com a Curiós para te empoderar em ajudá-los a sonharem alto, até as olimpíadas!

Referências:

Exame. “FILA atende aos corredores brasileiros e cresce 75% na modalidade”. Setembro de 2023. Disponível em: https://exame.com/bussola/fila-atende-aos-corredores-brasileiros-e-cresce-75-na-modalidade/ 

compartilhar

Relacionados

Educação contra o discurso de ódio

Educação contra o discurso de ódio. Guia prático para combater o discurso de ódio na sala de aula – por Júnia Bicalho (…)

Estudantes curiosos, professores estimulados

Estudantes curiosos, professores estimulados: o ensino por Investigação na construção de aulas instigantes – por Marina Queiroz (…)

A importância do acolhimento de educadores no início do ano letivo

A importância do acolhimento de educadores no início do ano letivo – Como acolher os professores no início das atividades pedagógicas? (…)

Encontrou o que precisava?